Mistério e segredos em Arquivo X

Já dizia o célebre dramaturgo inglês William Shakespeare que “existem mais coisas entre o céu e a terra do que pode sonhar nossa vã filosofia.” A cada dia surgem novas descobertas que nos forçam a revisitar conceitos, sendo alguns considerados irrefutáveis até então. Essa avalanche de dados vem para registrar que na verdade nós pouco sabemos a respeito do universo e de nós mesmos.

Tendo em vista que conhecimento é poder, existe a possibilidade de que muitos avanços tecnológicos e científicos possam ser escondidos da população que, segundo os governantes, ainda não está preparada para eles. O seriado em questão fez um enorme sucesso e conquistou uma legião de fãs a partir dessa premissa.

Criada por Chris Carter, a série tem início quando a agente do FBI Dana Scully é recrutada pelo diretor Skinner para acompanhar Fox Mulder e desacreditá-lo em seus relatórios, pois ele acredita em fenômenos paranormais e extraterrestres, chegando inclusive a afirmar que sua irmã mais nova foi abduzida por eles quando criança e desapareceu desde então.

Com sua formação em medicina e um raciocínio essencialmente científico ela busca uma explicação lógica para os casos pertencentes à divisão Arquivo X, especializada em investigar fenômenos sem explicação aparente. Quando começa a ficar sem respostas Scully percebe que realmente está diante de algo novo e diferente, mas que logo será abafado pelo governo.

Grande parte do mérito do sucesso se deve ao entrosamento do casal de protagonistas, que possui um espectro de percepção mais complexo do que se imagina. O agente Mulder possui um histórico invejável no FBI e terminou direcionado para o departamento em questão, pois seus superiores sabiam que essa era a melhor maneira de controlá-lo. Scully, apesar do seu pensamento logístico tem uma formação católica que confronta suas próprias afirmações.

A dupla é freqüentemente ajudada pelos Pistoleiros Solitários, um grupo de nerds que publica um jornal alternativo do mesmo nome. O grupo de personagens carismáticos e solícitos acabou ganhando uma série derivada, que infelizmente durou apenas uma temporada.

Mulder também recebe ajuda de informantes do alto escalão governamental que disfarçam suas identidades por motivos óbvios. Eles tem um papel crucial dentro da trama, pois são a confirmação de que o agente não está paranóico e realmente existe uma conspiração encabeçada por um homem anônimo que sempre aparece em cena fumando um cigarro.

É inegável acrescentar a grande influência do escritor Edgar Allan Poe nos roteiros dos episódios, muitos girando em torno de penitência por crimes passados numa ambientação bastante sombria.

Vale apontar que a série serviu de inspiração para outros programas como Eleventh Hour, Fringe e Supernatural, onde os dois irmãos debatem inclusive sobre “quem é a Scully” da dupla.

O grande mérito da série, que perdura no coração dos seus fãs até hoje é a realização de que manter a mente aberta e questionar sempre serão as melhores armas para encontrar a verdade sobre um fato.

Gilson

About Gilson Salomão

Jornalista apaixonado por Cultura Nerd. Escritor e poeta. Nostálgico e sonhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>