O faroeste diferenciado de Ken Parker

Criado pelos italianos Giancarlo Berardi e Ivo Milazzo em 1974 e baseado em um filme americano com Robert Redford (“Jeremiah Johnson”, de 1972, lançado no Brasil como “Mais forte que a vingança”), este personagem é um dos mais lembrados entre os favorecidos pela parceria entre cinema e “fumettis” (os quadrinhos italianos).

A série retrata a sobrevivência de um homem desiludido com o mundo, que abandona a civilização para ficar isolado. No decorrer da saga, os leitores ficaram conhecendo melhor o personagem. Parker (também chamado de Rifle Comprido, devido ao seu inseparável arcabuz Kentucky herdado de seu avô, usado na Revolução Francesa) nasceu em 20 de novembro de 1844 em Buffalo, Wyoming, tinha como pais Lucy e Jed Parker. Tinha também um irmão, Bill, que seria assassinado no primeiro número, o que motivaria o herói a caçar os assassinos de seu irmão.

Este acontecimento se dá em 29 de dezembro de 1868, o herói teria 24 anos. O curioso é que Parker nem sempre vencia seus obstáculos e, muitas vezes, ia até para a prisão. Esse lado humano é o que mais prevalece na série e estende-se aos coadjuvantes: como melhores amigos, Parker tem o índio Kamoose, o esquimó Oakpeha, a garota Pat O’Shane, seu filho Teddy (que vive em Boston), Belle e Dashiell Fox (um batedor do exército) e a cachorrinha Lily. Seus roteiros densos e temas universaisviolência, racismo, e a busca do próprio euentraram definitivamente em cena no faroeste.

Segundo o próprio Giancarlo Berardi,“Ken Parker é um homem de hoje, com os problemas de hoje. Não tem nenhuma certeza, nenhuma segurança, vive dia após dia com seus próprios ideais, buscando ardente, desesperada, corajosa e dolorosamente ser coerente.” O personagem recorre ao uso das armas apenas em último caso, antes preferindo o diálogo como forma de resolver os conflitos.

Além disso, a série mostra o processo de colonização do oeste norte-americano, levado a cabo no século XIX com grandes toques de realidade, ao expor que a ganância, a ambição, o completo desrespeito para com o ambiente e as populações indígenas foram peças-chave nesse processo.

Ken Parker provavelmente pode ser considerada uma obra-prima. É um faroeste diferente, um personagem cativante e a principal qualidade é que se trata de histórias humanas, com falhas, acertos, tragédias, vitórias… tudo que qualquer pessoa passa na vida. Ele é prático, realista, positivo e capaz de amar e se doar com generosidade. A singularidade do personagem o deixa bem distante de heróis como Tex e Zagor. 

Gilson

About Gilson Salomão

Jornalista apaixonado por Cultura Nerd. Escritor e poeta. Nostálgico e sonhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>